ACCR Outeiro da Cortiçada quer recuperar interesse das pessoas

A  1ª Mostra de Artesanato foi demonstração de qualidade

Maria João Cardoso Bouzada e Pinto, presidente da direção da ACCR de Outeiro da Cortiçada.

Maria João Cardoso Bouzada e Pinto, presidente da direção da ACCR de Outeiro da Cortiçada.

Maria João Cardoso Bouzada e Pinto é a presidente da direção eleita em 12 de abril deste ano, da Associação Centro de Convívio e Recreio de Outeiro da Cortiçada (ACCR). Esta Associação, além de atividades do foro convivial e recreativo, agrega uma valência da maior relevância para a população da freguesia de Outeiro da Cortiçada e Arruda dos Pisões: o Centro de Dia, que merece atenção permanente e daí, apesar de a direção cessante não ter sido substituída logo após o término do seu mandato, nunca ter sido descurado. “Em termos de atividades lúdicas, essas sim, estavam paradas”, explica a nova dirigente contando que para constituírem os novos corpos sociais se juntaram 15 pessoas que decidiram assumir os destinos da Associação, tendo sido a única lista a candidatar-se a eleições. “E estamos aqui com todo o gosto e queremos ver se o Outeiro volta a ter alguma animação cultural”, afirma.

“As instalações são ótimas, foram todas recuperadas e remodeladas” há poucos anos “e a sala é fantástica” reconhece Maria João Bouzada e Pinto. Depois de um primeiro baile, da festa das crianças no seu dia mundial e da Mostra de Artesanato de 31 de maio, que foi uma demonstração de qualidade, “vamos tentar fazer mais algumas mostras durante o ano, mas para já o que temos marcado é a festa de verão – a Festa Anual –, no primeiro fim de semana de agosto, dias 1 e 2 e que começa a 31 de julho”, refere adiantando “já falámos com o senhor padre para, em vez de fazermos a procissão a partir da aldeia para a igreja, fazê-la pelas ruas do Outeiro da Cortiçada, para ver se conseguimos chamar mais as pessoas, uma vez que subir até à igreja é muito complicado, até porque temos pessoas muito idosas que não conseguem lá chegar; aqui pelas ruazinhas do Outeiro a procissão acaba por ser mais familiar”.

A Festa Anual é feita em honra de Nossa Senhora da Ribeira, padroeira do Outeiro da Cortiçada.

Aos poucos, a ACCR irá planeando outras atividades, sendo certo que tem pela frente já em setembro a FRIMOR 2015, a propósito da qual Maria João admite a possibilidade de “uma parceria com a Junta de Freguesia”, para fazer no seu stand “talvez uma exposição-venda do nosso artesanato e para mostrar os nossos produtos; para isso teremos que reunir com a au-tarquia local e ver o que se poderá fazer. Mas queremos muito ir por aí, queremos mexer com o Outeiro, queremos que as pessoas oiçam falar do Outeiro”.

O salão da ACCR recebe duas vezes por semana, aulas de ginástica, dadas por professores enviados pela DESMOR, durante o dia aos seniores e à noite aos adultos.

Indagada quanto ao que é que falta ao Outeiro da Cortiçada, Maria João confidenciou que na direção da Associação existe o sonho de que as pessoas da freguesia se unam mais, pois seria uma forma de contrabalançar a dispersão e recuperar o interesse pelas atividades que a ACCR possa promover. Fomentar essa união “vai ser o nosso primeiro trabalho e por isso fomos buscar para a nossa equipa pessoas das Correias, Vale Marinhas, Arruda dos Pisões…”, refere.

Um dos ‘dramas’ que o Outeiro vive foi ver-se sem as suas crianças. Um dia talvez a ACCR venha a organizar um ou outro grande convívio ao ar livre, por exemplo no Vale da Enguia, na zona de Arruda dos Pisões – mas haverá outros locais para os fazer, com certeza – que propiciem o convívio intergeracional e até entre as próprias crianças. Abordada esta vertente da recreação, Maria João exclama: “… temos juventude e temos muitas crianças! O exemplo era a escola: tínhamos 60 crianças nesta escolinha e agora muitas foram para as Fráguas e muitas para Rio Maior. No fundo as atividades que queremos desenvolver também são para as juntar aqui, pelo menos aos fins de semana. Umas foram para um lado, outras para o outro e separam-se e acabam por perder o contacto umas com as outras”.

Entretanto, no que a Associação está a pensar seriamente é em fazer um ATL. “Gostávamos de fazer aqui um ATL, aproveitando a escolinha. Já falámos com a Câmara, o assunto está mais ou menos encaminhado, vamos precisar de apoios… É de facto um projeto que gostávamos muito de levar por diante, para podermos ir buscar os meninos que foram para as Fráguas e para Rio Maior, juntando-os aqui pelo menos nas férias”, conclui a presidente da direção da Associação Centro de Convívio e Recreio de Outeiro da Cortiçada.

Categorias:Em Destaque, Rio Maior Tags: , ,

Também pode ser do seu interesse:

Novo sacerdote e nomeações na Diocese de Santarém Novo sacerdote e nomeações na Diocese de Santarém
Clube de Férias para crianças abre no Outeiro da Cortiçada Clube de Férias para crianças abre no Outeiro da Cortiçada
Exercícios de Pintura, na Biblioteca Exercícios de Pintura, na Biblioteca
Outeiro da Cortiçada retomou a sua festa anual em 2015 Outeiro da Cortiçada retomou a sua festa anual em 2015

Responder

Enviar Comentário


− dois = 4

© 2017 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.