11 de fevereiro, Dia Mundial do Doente

Os doentes reumáticos têm direito a ser tratados por um reumatologista.

É URGENTE QUE A REUMATOLOGIA SEJA RECONHECIDA COMO A ESPECIALIDADE QUE TRATA AS DOENÇAS REUMÁTICAS

Doentes por tratar, diagnósticos por fazer, sintomas por reconhecer, patologias por diagnosticar.  Este é o cenário da doença reumática em portugal – as doenças reumáticas podem tornar-se incapacitantes, e ainda são subdiagnosticadas.

No Dia Mundial do Doente, a Sociedade Portuguesa de Reumatologia alerta e sensibiliza para a conjuntura das Doenças Reumáticas em Portugal, numa tentativa de construir um sistema de saúde em que todo o doente reumático possa ser seguido por um reumatologista, tendo a possibilidade de ter um diagnóstico precoce e acesso a tratamento correto e atempado, de forma a minimizar a perda de qualidade de vida associada a estas doenças.

Embora as doenças reumáticas afetem 56% da população do nosso país, ainda são encontradas sérias dificuldades no que diz respeito ao acesso à especialidade, o que se traduz em muitos casos de doentes não diagnosticados e, consequentemente, não medicados, ou seja, doentes que não estão a ser tratados e acompanhados por reumatologistas. Adicionalmente, apesar de ter havido uma evolução muito positiva no que diz respeito ao acesso a cuidados médicos na área da Reumatologia,  ainda  há  zonas  de  Portugal  onde  o  acesso  à  especialidade  encara  graves dificuldades.

A somar a estes fatores, um terço dos doentes que sofrem de doença reumática não reconhece os sintomas. As doenças reumáticas constituem a primeira causa de invalidez e de reformas antecipadas por doença, estão associadas ao maior número de procura de cuidados de saúde primários e são as que mais qualidade de vida retiram aos doentes. Este é o cenário que deverá ser alterado e pelo qual a SPR tem lutado junto da tutela e organizações de saúde.

Uma vez que as doenças reumáticas se caracterizam, de forma geral, por quadros inflamatórios nas articulações, é evidente que um maior tempo de espera de consulta se traduz numa progressão da doença. Como tal, quando estes doentes chegam ao especialista, já estão num estado em que o tratamento pode não ter a mesma eficácia que tem em pessoas diagnosticadas atempadamente.

O que deverá ser revisto e intervencionado na opinião da SPR?

Nas palavras do presidente da Sociedade Portuguesa de Reumatologia, Dr. José Canas da Silva, “é importante que estas doenças sejam diagnosticadas o mais precocemente possível dado que, quando assim não acontece, podem deixar o doente com incapacidade grave. Para que isso seja possível, é urgente que se construa uma rede de referenciação organizada e que funcione corretamente, ao mesmo tempo que é preciso que a reumatologia seja, de uma vez por todas, reconhecida como a especialidade que trata as doenças reumáticas!”

Identificado o  panorama nacional, é  necessário intervir  junto  das  entidades competentes, num esforço conjunto por um maior reconhecimento destas doenças e por um melhor funcionamento do sistema de saúde, pois só deste modo se consegue garantir que o doente tenha um acompanhamento médico adequado às suas necessidades.

Fonte: Sociedade Portuguesa de Reumatologia

Categorias:Saúde Tags: , , , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Região | «Pintados de Rosa», Projeto de Aptidão Profissional na EPRM Região | «Pintados de Rosa», Projeto de Aptidão Profissional na EPRM
Mulheres são mais afetadas pelos joanetes Mulheres são mais afetadas pelos joanetes
População sénior desconhece estenose aórtica População sénior desconhece estenose aórtica
E se a dor escolhesse idades? E se a dor escolhesse idades?

Responder

Enviar Comentário

© 2019 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.