29 de outubro foi Dia Mundial da Psoríase

PSOPortugal denuncia discriminação dos doentes psoriáticos

psoriaseNo âmbito do Dia Mundial da Psoríase, assinalado a 29 de outubro, a PSOPortugal – Associação Portuguesa de Psoríase revela que ainda existem muitos doentes que são discriminados social e profissionalmente por causa da doença e que o estigma pode levar a casos de isolamento e depressão com risco de suicídio.

“A psoríase não é contagiosa e por isso não há necessidade de agir de forma diferente perante um doente psoriático”, declara Jaime Melancia, presidente da PSOPortugal, que acrescenta ainda que “mesmo com toda a informação que existe nos dias de hoje ainda nos chegam muitas denúncias de doentes que são discriminados, postos de lado, prejudicados profissionalmente e mesmo impedidos de seguir a carreira que querem por terem psoríase e isso é inaceitável”.

“A psoríase é uma doença de pele que se manifesta geralmente no couro cabeludo, cotovelos joelhos, região lombar, mãos e pés, e é por isso que grande parte dos doentes, apesar da muita informação que existe, sofrem um grande estigma e têm com frequência dificuldades no relacionamento social e profissional”, diz o dermatologista Paulo Ferreira que sublinha ainda que “este impacte negativo da psoríase na vida dos doentes pode resultar no desenvolvimento de outras doenças como a depressão e os problemas associados como a tristeza, a baixa produtividade laboral, a baixa empregabilidade e a discriminação social, relacional e até profissional, diminuição da autoestima, pensamento suicida, má adesão aos tratamentos e problemas na relação médico doente”.

Mas esta não é uma realidade apenas portuguesa e é por isso que o tema escolhido internacionalmente para assinalar o Dia Mundial da Psoríase 2015 foi «Esperança. Ação. Mudança». De acordo com Jaime Melancia este tema pretende “dar aos doentes a esperança de que é possível alterar a perceção da doença e tomar medidas que contrariem a sua condição atual mas para isso é importante que os psoriáticos unam esforços e juntos denunciem todos os casos de discriminação de que são alvo, quer social quer profissionalmente”.

Pelo reconhecimento mundial de que a psoríase é uma doença grave e tem um alto impacte na qualidade de vida dos doentes e graves comorbilidades associadas, a Organização Mundial de Saúde comprometeu-se a dar atenção ao impacte que a psoríase tem na saúde pública e publicar, até ao final de 2015, um relatório global sobre a doença que envolva a prevalência, incidência, modelos de gestão bem-sucedidos de saúde pública relacionados com a doença, e recomendações sobre o que deve ser feito em termos de pesquisa, público e futuras políticas de saúde que visem enfrentar os desafios impostos.

A psoríase é uma doença crónica da pele que afecta 250 mil portugueses e mais de 125 milhões de pessoas em todo o mundo.

A PSOPortugal – Associação Portuguesa da Psoríase, entidade com dez anos de existência, constituída em 2005, tem vindo a defender, apoiar e dar voz aos doentes de psoríase. E também a alertar e sensibilizar a sociedade para a discriminação social e profissional de que são alvo os cerca de 250 mil portugueses que sofrem de psoríase. É uma IPSS da Saúde, com intervenção a nível nacional. Atualmente é sócia da Federação Internacional das Associações de Psoríase (IFPA) e da Federação Europeia das Associações de Psoríase (Europso).

A Psoríase

A psoríase é uma doença auto-imune, crónica que se manifesta no nosso maior órgão – a pele, não contagiosa, que pode surgir em qualquer idade. O seu aspecto, extensão, evolução e gravidade são variáveis, caracterizando-se pelo aparecimento de lesões vermelhas, espessas e descamativas, que afectam sobretudo os cotovelos, joelhos, região lombar, couro cabeludo e unhas. Desenvolve-se quando o sistema imunitário do corpo faz disparar um crescimento rápido das células cutâneas. Na pele saudável, as células amadurecem e perdem-se em 28 a 30 dias. Nas pessoas com psoríase, este processo acelera-se 3 a 4 dias. A origem da psoríase não está totalmente esclarecida.

Cerca de 10 por cento dos doentes acabam por desenvolver artrite psoriática. Esta traduz-se por dor e deformidade, por vezes bastante debilitante, das pequenas ou grandes articulações.

Fonte: PSOPortugal

Categorias:Uncategorized Tags: , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Os Bombeiros Voluntários de Rio Maior em números Os Bombeiros Voluntários de Rio Maior em números
ASFIC estagia em hotel de Setúbal ASFIC estagia em hotel de Setúbal
GNR realizou sessão de hipoterapia em Tomar GNR realizou sessão de hipoterapia em Tomar
Includ-ED dá a volta ao Agrupamento Fernando Casimiro Includ-ED dá a volta ao Agrupamento Fernando Casimiro

Responder

Enviar Comentário

© 2018 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.