Aprovados primeiros apoios do Fundo Rainha D. Leonor

Três Misericórdias da província vão receber as aprimeiras atribuições do Fundo Rainha D. Leonor

Pedro Santana Lopes e Manuel de Lemos quando assinaram o Acordo de Parceria que criou o Fundo Rainha D. Leonor, em abril de 2014.

Pedro Santana Lopes e Manuel de Lemos quando assinaram o Acordo de Parceria que criou o Fundo Rainha D. Leonor, em abril de 2014.

O Fundo Rainha D. Leonor serve para apoiar as Misericórdias, que estão com dificuldades financeiras, a desenvolver respostas sociais prioritárias. Foi criado em abril de 2014, por iniciativa do provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Pedro Santana Lopes, com o presidente da União das Misericórdias Portuguesas, Manuel de Lemos, através de um Acordo de Parceria. “Estamos perante um acordo inédito na relação da Santa Casa de Lisboa com as outras Misericórdias. Trata-se de uma parceria ímpar, em mais de cinco séculos de história da Misericórdia de Lisboa, que se concretiza com a criação de uma ferramenta de financiamento com dotação orçamental própria.” – afirmou nessa altura Pedro Santana Lopes.

Agora, as três primeiras candidaturas das Misericórdias Portuguesas a receber apoio financeiro através do Fundo Rainha D. Leonor, já estão aprovadas pela presidência do Fundo, composta por Pedro Santana Lopes e Manuel de Lemos. Na sequência, a Mesa da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa autorizou o respetivo financiamento. Nesta primeira fase foram selecionados os projetos das Misericórdias de Pernes, Penela e Almeirim, a primeira e a última no distrito de Santarém.

A criação de uma unidade para pessoas com demência em fase aguda, a amplificação e requalificação de um lar de idosos, e a conversão do antigo hospital de Almeirim em creche e jardim-de-infância são os projetos que serão agora concretizados com o apoio do Fundo Rainha D. Leonor. Para além da criação de postos de trabalho, este financiamento e a consequente concretização dos projetos apresentados permitirá apoiar 280 pessoas, entre crianças, adultos e idosos e respetivas famílias.

A Santa Casa apoia assim o trabalho das Misericórdias em causas sociais prioritárias, o que traduz a génese da criação do Fundo Rainha D. Leonor, concretizado pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e pela União das Misericórdias Portuguesas, que pretendem dar desta forma um contributo para a coesão social e territorial do país.

No total, as três primeira Misericórdias contempladas prestam apoio a mais de 550 famílias e desenvolvem respostas sociais transversais a todas as faixas etárias.

A seleção destes projetos está também relacionada com as condições de necessidade, de sustentabilidade e de qualidade que o Fundo exige na aprovação das suas candidaturas.

O Fundo Rainha D. Leonor está a trabalhar em mais de uma dezena de outras candidaturas, do norte, centro e sul do país e ilhas.

Categorias:Social Tags: , , , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Furto, recetação e tráfico de droga deixam 3 em preventiva Furto, recetação e tráfico de droga deixam 3 em preventiva
Veteranos, toca a reunir para o 8.º Torneio de Futebol de 7 Veteranos, toca a reunir para o 8.º Torneio de Futebol de 7
Três casos na região em que a GNR interveio Três casos na região em que a GNR interveio
24 milhões do PO SEUR para a Lezíria do Tejo 24 milhões do PO SEUR para a Lezíria do Tejo

Responder

Enviar Comentário

© 2018 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.