Associação de Pais organizou Noite de Fados

Na cidade de Rio Maior a noite de 7 de Fevereiro trouxe a cerca de 400 pessoas dois acontecimentos culturais com nota alta; a peça de teatro No Limite, no Cineteatro e uma Noite de Fados na escola sede do Agrupamento de Escolas Fernando Casimiro Pereira da Silva.

A Noite de Fados, organizada pela Associação de Pais e Encarregados de Educação reuniu mais de 120 pessoas. Uma noite de fados na EB Fernando Casimiro, apesar de não ter sido a primeira não é evento frequente. “Uma iniciativa dos pais é sempre de apoiar e valorizar, essencialmente quando está proposta a canção portuguesa por excelência é de se aproveitar a oportunidade; congregar toda a comunidade em torno da escola”, declarou ao Região de Rio Maior Paulo Almeida, director do Agrupamento.

Aderiram pais, professores, funcionários, alunos… Agora que se aproxima o termo do 2º período de aulas a «Nando Casimiro» tem “em carteira” uma série de actividades: “Nos últimos três dias teremos as nossas Jornadas Culturais que serão mais uma oportunidade para abrir a escola à comunidade, trazer os pais, as famílias, a autarquia também colabora connosco neste projecto, portanto a ideia é tentar levar um bocadinho a escola a casa e trazermos um bocadinho a casa à escola”, adiantou o director.

Aqui cantava Infante José da Silva acompanhado, tal como os demais fadistas, por Moisés Canita à guitarra portuguesa e Tiago Fins à viola.

Aqui cantava Infante José da Silva acompanhado, tal como os demais fadistas, por Moisés Canita à guitarra portuguesa e Tiago Fins à viola.

À nossa volta afadigavam-se dezassete pessoas entre membros dos órgãos sociais da Associação de Pais, funcionárias do OTL e amigos que os ajudavam a prover as mesas de grelhados, assados e outros acepipes que amenizavam o apetite aberto pelo entusiasmo gerado pelas interpretações dos fadistas que actuaram na primeira parte da Noite de Fados. Foi a ocasião ideal para subtrairmos por minutos daquela alegre azáfama a presidente da Associação. Débora Antunes, que já vai no segundo mandato somando cerca de 5 anos na função, explicou-nos que a Associação de Pais do Agrupamento de Escolas Fernando Casimiro é bastante activa. No presente ano lectivo, além desta Noite de Fados tem colaborado em iniciativas da Escola como sejam algumas vendas de rifas e uma feira de sopas no Centro Escolar nº 2, ajudando a angariar fundos para fazer face a algumas despesas necessárias à melhoria das condições físicas proporcionadas pelo estabelecimento de ensino aos seus alunos. Por exemplo a receita da Noite de Fados destina-se à constituição de um certo montante que está a ser reunido para suprir a necessidade de espaços cobertos contíguos ao edifício da escola sede, designadamente para abrigarem os jovens à entrada e saída das aulas, quando se dirigem dos ou para os transportes. Desse montante, uma parte poderá vir a ser dispendida na aquisição de algum equipamento que faz falta nas salas de OTL, como por exemplo jogos didácticos. “Temos tido todo o apoio da direcção do Agrupamento; ainda agora, para a Noite de Fados, quando perguntei ao director se estaria disponível para a realizarmos aqui na Escola, ele só perguntou o que é que precisávamos dele. Temos uma colaboração bastante estreita e tudo o que fazemos, fazemo-lo assim”, explica Débora Antunes. “Por outro lado achamos que não é competência exclusiva de uma Câmara, de uma Junta ou de uma outra entidade pública melhorar as condições de uma escola, porque hoje em dia é cada vez mais difícil termos verbas disponíveis para fazer algumas obras, portanto também estamos cá para isso”, afirma a presidente da Associação de Pais.

A equipa que organizou a Noite de Fados.

A equipa que organizou a Noite de Fados.

Débora Antunes faz ainda notar que também têm três OTL: o de Asseiceira, o do Centro Escolar nº 2 e o da escola sede “a cujas crianças tentamos sempre dar as melhores condições possíveis”. Para a Noite de Fados, os fadistas vieram a Rio Maior graciosamente. Quem tratou dos contactos foi Luís Vicente, presidente da assembleia da Associação de Pais, de quem são amigos; “um deles também é um amigo meu de longa data”, referiu a presidente manifestando-se “muito contente” por todos terem anuído a actuar de forma gratuita, “porque é muito difícil um fadista, num sábado à noite não estar ocupado”.

Cristina Luz, João Plácido, Rosa Pardal, Luís Arsénio, Maria da Graça, Valdemar da Cruz e Infante José da Silva foram esses fadistas. Acompanhavam-nos Moisés Canita à guitarra portuguesa e Tiago Fins à viola. As entradas eram a 12,50 € para adultos e a 7,50 € para crianças e incluíam a “ceia”, digamos assim, antecipada para as onze da noite, sensivelmente, tendo a Associação contado com o apoio em géneros de algumas empresas da nossa praça. Também teve a colaboração dos Bombeiros Voluntários e da Junta de Freguesia de Rio Maior.

Categorias:Artes e Cultura Tags: , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Região | Música Fora de Portas vai fazer-se ouvir em Arrouquelas Região | Música Fora de Portas vai fazer-se ouvir em Arrouquelas
Região | Música Fora de Portas levou ACCRM à Azinheira Região | Música Fora de Portas levou ACCRM à Azinheira
Audição Final de 2017/2018 das Escolas de Música da ACCRM. Audição Final de 2017/2018 das Escolas de Música da ACCRM.
«Tradição Fadista» com José Neves em CD «Tradição Fadista» com José Neves em CD

Um Comentário

  1. joão Casanova diz:

    AF/ Se cantou o Infante José da Silva, contribuiu com certeza para uma grande noite, um abraço e parabéns

Responder

Enviar Comentário

© 2018 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.