Banda da Vila da Marmeleira em concerto notável

Vila da Marmeleira: Concerto de Ano Novo da Banda Filarmónica da Casa do Povo inaugurou ampliação do palco.

A Banda Filarmónica da Casa do Povo da Vila da Marmeleira em plena atuação.

A Banda Filarmónica da Casa do Povo da Vila da Marmeleira em plena atuação.

Ao segundo dia de janeiro de 2016, a Banda Filarmónica da Casa do Povo da Vila da Marmeleira (concelho de Rio Maior) rubricou um concerto de Natal/Ano Novo notável, com que inaugurou a recente ampliação do palco da Sala Fernando Carriço – o salão de espetáculos e outros eventos, da sua sede.

Maestro Acácio Silva.

Maestro Acácio Silva.

Regida pelo maestro Acácio Silva – a mola real de um recente reavivar da Banda e cujo mérito e dedicação foram realçados no concerto por dirigente da Casa do Povo – e sempre entusiasticamente aplaudida pela assistência que lotava o salão – na qual se incluíam convidados como: a presidente do Município de Rio Maior, Isaura Morais que estava acompanhada pela presidente da Junta de Freguesia da Marmeleira e Assentiz, Amélia Simão e outros eleitos locais, bem como pelo assessor da presidência da Câmara, João Rebocho; e Daniel Pinto, vereador e o seu avô, José Pulquério, um antigo presidente da Câmara –, além de personalidades locais como por exemplo José Pacheco Pereira, Teresa Calçada e Edgar Carriço que foi o último presidente de Junta da extinta freguesia da Vila da Marmeleira, a Banda  Filarmónica cumpriu este programa: La Rodana (Paso Doble) de Ferrer Ferran; Invicta (Overture for Concert Band) de James Swearing; Concerto D’Amore (Fantasia) de Jacob de Hean; Deep Harmony (Coral) da Handel/Parker – arranjo de Willem Flisijn; Silent Night (eterna Melodia Natalícia), outro arranjo de James Swearing; One Moment in Time (Canção) – arranjo de John Higgins; Tributo a Carlos Paião (Seleção) – arranjo de Álvaro Reis –, e Velharias (Rapsódia) de Miguel Oliveira.

Tocou ainda mais alguns temas. Na interpretação de uma polca destacou-se o solo de trombone de Tiago, pela primeira vez em público. Noutra ocasião surpreendeu o Sr. Júlio Freixieiro, de 90 anos de idade e seu antigo músico, que se encontrava entre os espectadores, dedicando-lhe um tema de que ele gosta muito, como presente pelos anos que celebrava precisamente naquele primeiro sábado de 2016: o 62º aniversário do seu casamento! O Sr. Júlio ficou encantado com a lembrança e não poupou nos aplausos. Nem ele nem toda a assistência.

“Magnífica Banda” e “belos músicos”, lhes chamou o presidente da direção da Casa do Povo da Vila da Marmeleira, Mário Manuel Figueiredo dos Santos. Contou que cinco dos músicos, dispensados por anterior maestro sem que ele tivesse sabido a tempo de evitar tal dispensa, logo que assumiu funções disponibilizaram-se a regressar.

Tiago, estreou-se em público num solo de trombone. Júlio Freixieiro, 90 anos, antigo música da Banda, que naquele dia fazia 62 anos de casado.

Tiago, estreou-se em público num solo de trombone. Júlio Freixieiro, 90 anos, antigo músico da Banda, que naquele dia fazia 62 anos de casado, foi brindado com um tema muito do seu agrado.

A Banda tem atualmente 35 músicos mas neste concerto apenas 30 tocaram; os outros não puderam comparecer. Entre os 35 elementos da Banda contam-se 5 alunos da Escola de Música da Casa do Povo da Vila da Marmeleira que atuaram neste concerto e que fez questão de apresentar.

Aspeto parcial da plateia.

Aspeto parcial da plateia.

Para a ampliação do palco, que tem agora 8,5 metros de fundo e 64 metros quadrados de área e que importou em 2.380,18€ a Casa do Povo recebeu contributos num total de 2.035,00€. Do Município recebeu apoio em areia, cimento e tijolos. Mário Figueiredo dos Santos tudo agradeceu. Faltam ainda adereços e outros pormenores, “para além de um lavar de cara deste nosso salão”, disse o presidente da direção, que passou a nomear e a agradecer a quem mais diretamente se empenhou ou deu o seu apoio no melhoramento do palco:

– João Aníbal Matias, que trabalhou do primeiro ao último minuto da obra, gratuitamente, fazendo de pedreiro e carpinteiro. A filha receberia uma placa da Casa do Povo em nome do pai, ausente naquela tarde.

A filha de João Aníbal Martins recebedo a placa do pai, ausente, das mãos do presidente da direção da Casa do Povo da Vila da Marmeleira, Mário Sanrtos.

A filha de João Aníbal Matias recebedo a placa do pai, ausente, das mãos do presidente da direção da Casa do Povo da Vila da Marmeleira.

– Mário Henriques, na parte elétrica e Claudino Lopes.

– Fernando Martins e Nelson Guedes na pintura bem como Francisco no apoio.

– O maestro Acácio Silva, o grande “animador” do empreendimento.

– Os músicos “nossos amigos” e os músicos vilamarmeleirenses.

– A Caixa de Crédito Agrícola, que ofereceu à Casa do Povo as cadeiras onde os músicos se sentam.

– E ao sócio e amigo, que contribuiu para que o salão passasse a ter eletricidade trifásica.

Vitor Santos, presidente da direção da Casa do Povo da Vila da Marmeleira.

Vitor Santos, presidente da direção da Casa do Povo da Vila da Marmeleira.

Aproveitou ainda o ensejo para manifestar a gratidão da Casa do Povo para com os patrocinadores da prova de Atletismo Vitor Barata: Grupo de Amigos da Vila da Marmeleira, António Jorge, Café Tijuca, Lojinha da Nani, Tasca da Dedé, Fernando José e Edgar Carriço.

Existe nos dirigentes da Casa do Povo e na Banda a expectativa de virem a receber instrumentos musicais cedidos pelo Município. A esse propósito Isaura Morais apontou para 31/5/2016, data do aniversário da Banda, uma resposta.

A apresentação geral e em especial dos atos que ocuparam o tempo entre as duas partes em que se dividiu o concerto esteve a cargo de Antónia Falcão Manso Corrêa que, noutro plano de intervenção cívica é deputada municipal da CDU de Rio Maior. Tratou, por exemplo, das “lembranças” que a direção da Casa do Povo decidiu atribuir nesta ocasião, como a João Aníbal, Vitor Lopes, Francisco Ferreira e António Luís, pelo seu esforço em prol da instituição. Foi também ela que, entendida com os presidentes da mesa da assembleia e do conselho fiscal providenciou para que à anterior direção da Casa do Povo da Vila da Marmeleira, Mário Santos, Júlia Vieira e Mário Henriques, fosse atribuída uma placa, pedindo desculpa de por lapso não terem sido feitas placas para mais dois elementos dessa direção, Nelson e Vítor Amaro e esclarecendo que iria ser providenciada a execução e entrega das mesmas, pela sua dedicação à Casa do Povo; foi na altura em que foram chamados ao palco, para lhes ser reconhecido o empenho na legalização do património da Associação Casa do Povo da Vila da Marmeleira, Nelson Santos, Vitor Amaro, Gualdino Gomes e o Sr. Juvenal.

“Fomos todos nós que legalizámos esta casa, com um grande favor do Rui Marcelino, porque as despesas foi ele que as pagou”, lembrou Mário Santos.

Por sua vez, Rui Marcelino manifestou o seu apreço e elogio à direção que acreditou que era possível legalizar a Associação; muitos ficaram incrédulos, porque ao longo de muitos anos não se tinha conseguido fazê-lo, mas a verdade é que isso aconteceu. Qualquer vilamarmeleirense tem a obrigação de fazer pela sua terra o melhor; eu não fiz mais do que aquilo que me cabia fazer e portanto o valor é deles!”

Antes ainda, Rui Feliciano recordou que fazia a 5 deste janeiro um ano em que se equacionou se a Banda acabava ou não acabava. No dia 17/1/2015 ficou decidido que a Banda era para continuar. Os músicos dispensados pelo anterior maestro de pronto regressaram e houve a sorte de terem conseguido contratar o maestro Acácio Silva, “que pelo acarinhar da Banda, da ideia, da Escola de Música e até por acarinhar esta obra que estamos hoje a inaugurar também merece o nosso louvor e agradecimento”, afirmou, suscitando uma grande salva de palmas.

Rui Feliciano (à esquerda) e Rui Marcelino.

Rui Feliciano (com o microfone) e Rui Marcelino.

E foi assim num ambiente de satisfação e esperança que decorreu esta tarde de Concerto de Ano Novo da Banda Filarmónica da Casa do Povo da Vila da Marmeleira.

Categorias:Música Tags: , , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Rio Maior volta a receber o Challenger da NERSANT Rio Maior volta a receber o Challenger da NERSANT
Os Bombeiros Voluntários de Rio Maior em números Os Bombeiros Voluntários de Rio Maior em números
Includ-ED dá a volta ao Agrupamento Fernando Casimiro Includ-ED dá a volta ao Agrupamento Fernando Casimiro
A Seleção Nacional de Futsal está em Rio Maior A Seleção Nacional de Futsal está em Rio Maior

Responder

Enviar Comentário

© 2018 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.