Cláudia Arroja quer ajudar a fazer algo por Rio Maior

Recentemente eleita vice-presidente do AMAI Cláudia Arroja, uma das caras novas na política local, quer ajudar a fazer algo por Rio Maior.

É este o título de mais uma grande entrevista no seu semanário de eleição, desta vez com Cláudia Arroja, que já trabalhou em turismo e é hoje Técnica Superior de Farmácia. Aderiu ao Movimento Independente do Concelho de Rio Maior (MIC-RM) na convicção de que poderá ajudar “a fazer algo pela nossa terra o que é muito mais específico do que ser-se político”, foi eleita para a Assembleia da Freguesia de Rio Maior e para vice-presidente da AMAI – Associação Nacional de Movimentos Autárquicos Independentes.

“Vim para Rio Maior, com os meus pais, ainda bebé. Cresci aqui; esta é a terra que eu conheço como minha. À medida que ia crescendo fui gostando mais de Rio Maior e aqui tenho os meus amigos e a minha vida. Depois casei-me e continuei a morar aqui; apesar de o meu marido
ser de Caldas da Rainha assumimos Rio Maior como nossa terra e continuamos por cá, com os nossos filhos”, começa por declarar Cláudia Arroja.

Cláudia Arroja - Mais uma grande entrevista no seu jornal de eleição.

Cláudia Arroja – Mais uma grande entrevista no seu jornal de eleição.

Técnica Superior de Farmácia, está a trabalhar na Farmácia Almeida. “Eu trabalhava nas Quintas da Ferraria e da Cortiçada, da família Nobre, quando conheci os meus futuros patrões que eram então meus clientes e que em 1999 me convidaram a trabalhar com eles em farmácia. Foi na Farmácia da Ota, em Alenquer, que eu comecei. Eles foram vendendo uma farmácia mais pequena e comprando uma maior e eu fui andando com eles; depois vim para mais perto de casa, trabalhei  então na Farmácia Almeida o que me permitia estar mais perto do meu filho mais velho. Mas convidaram-me mais uma vez para ir trabalhar com eles, agora para Torres Vedras, para ir ajudar a fazer a gestão da farmácia”, conta.

É uma mulher jovem e de repente aparece na política, não em nenhum partido consagrado mas num movimento de cidadãos que é o MIC-RM – Movimento Independente do Concelho de Rio Maior. O que é que a atraiu para a Actividade política?

Conheça a resposta a esta e a muitas outras perguntas que fizemos, nas páginas centrais da edição em papel Nº 1327, do seu Jorrnal semanário de eleição.

Categorias:Grande Entrevista Tags: ,

Também pode ser do seu interesse:

A professora Cidália Marques e o conceito de active lab A professora Cidália Marques e o conceito de active lab
Centésimo aniversário da Mina do Espadanal Centésimo aniversário da Mina do Espadanal
A Casa do Povo conta consigo no dojo do Estádio Municipal A Casa do Povo conta consigo no dojo do Estádio Municipal
ESDRM – Entrevista com Rita Santos Rocha ESDRM – Entrevista com Rita Santos Rocha

Responder

Enviar Comentário

© 2017 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.