Cooperação Rio Maior – Bissau

Municípios de Rio Maior e Bissau têm acordo de cooperação com especial com enfoque no domínio da formação

Adriano Gomes Ferreira, presidente da Câmara Muncipal de Bissau, mostra à assistência uma lembrança do Município de Rio Maior oferecida pela sua presidente, Isaura Morais.

Adriano Gomes Ferreira, presidente da Câmara Municipal de Bissau, mostra à assistência uma lembrança do Município de Rio Maior oferecida pela presidente, Isaura Morais, que recebeu do seu homólogo guineense uma peça de tecido confecionada na Guiné-Bissau.

As cidades de Rio Maior e de Bissau, capital da Guiné, por intermédio dos respetivos presidentes de Câmara, Isaura Morais e Adriano Gomes Ferreira assinaram no dia 2 de Julho de 2015, em Rio Maior, um protocolo de cooperação tendo em vista o reforço das relações de amizade e cooperação entre os munícipes dos dois territórios, que deverão passar pela promoção de trocas a nível da economia, cultura, sociais, educativas ou outras, em que é esperado uma papel ativo das diversas organizações representativas de ambas as partes, mobilizando os incentivos e os meios considerados adequados para o efeito.

Com uma duração de dois anos, este protocolo, prorrogável por iguais e sucessivos períodos de tempo sendo do interesse de Bissau e Rio Maior, será aplicado na medida das possibilidades existentes em cada momento, estando previstos encontros regulares entre representantes dos dois Municípios, para discutir parcerias e para assegurar o respetivo acompanhamento e avaliação.

No seu terceiro ponto residirá a principal preocupação do edil de Bissau. Atente-se:

“O Município de Rio Maior cooperará com a Câmara Municipal de Bissau, de acordo com as respetivas disponibilidades, através dos seguintes meios:

  1. a) Contribuição para a formação dos trabalhadores municipais de Bissau, em domínios de interesse para o Município de Bissau, designadamente através de programas de estágios;
  2. b) Fornecimento de meios técnicos e materiais adequados para projetos e programas municipais;
  3. c) Colaboração e intercâmbio regulares, de conhecimentos, experiências e informações entre os serviços municipais das partes contratantes;
  4. d) Empreender trâmites para o apoio ou financiamento de projetos de desenvolvimento local, quando tal circunstância se colocar no âmbito da presente cooperação, ou quando solicitado pela Câmara Municipal de Bissau.”

4-8bissau-rm-baixo

A este respeito falámos com o Dr. Luís Vicente (na foto é o terceiro a contar da esquerda), técnico da autarquia riomaiorense “que nos alerta para determinadas situações importantes a cada momento e que é o padrinho – para não lhe chamar pai – deste momento em que estamos”, brincou Isaura Morais logo no início do ato de celebração do protocolo. Luís Vicente, mercê das suas raízes guineenses é, digamos, um observador privilegiado das necessidades que a Guiné-Bissau enfrenta no que concerne aos serviços de uma autarquia da envergadura de uma câmara municipal. E esta é de facto uma oportunidade de ouro para o Município de Bissau, que se prepara para se candidatar a um programa da União Europeia que visa apoiar a modernização dos serviços municipais.

“O Município de Rio Maior vai ajudar a implementar esse programa a nível da capacitação ou da formação das pessoas”, começou por explicar Luís Vicente. “Estamos a falar de uma Câmara com 630 funcionários dos quais 60% têm menos do que o 9º ano de escolaridade e desses, 40% têm a 4ª classe; é uma falta de quadros e de formação impressionante. Cerca de 10% são técnicos profissionais e técnicos superiores, ou seja tudo o resto dificilmente funciona.” E prossegue: “O que a Câmara de Rio Maior pode fazer é ajudar a Câmara de Bissau a organizar-se, mas para isso é preciso formar as pessoas e o «know how» que nós temos podemos colocá-lo ao serviço desse objetivo e ajudar nesse intercâmbio com a Guiné-Bissau, que é um país irmão.”

Para Luís Vicente este é o momento de começar a alavancar as coisas, porque “os guineenses apostaram num Presidente competente, que já foi presidente de Câmara e para Primeiro-Ministro numa pessoa também com muita competência, que já foi secretário da CPLP durante seis anos, ao longo dos quais granjeou por esse mundo fora uma credibilidade enorme e isso permitiu que a mesa redonda, em Bruxelas, a que ele levou os projetos para o seu país, tivesse doado cerca de 1,5 mil milhões de euros”.

Atento às possibilidades de parcerias empresariais e outros pontos de contacto mutuamente vantajosos, Adriano Gomes Ferreira terá ficado especialmente interessado no conceito «Loja do Cidadão», que de resto visitou após a assinatura do acordo, acompanhado por Isaura Morais que o levou a conhecer também o Centro de Negócios e Inovação de Rio Maior e a Escola Profissional de Rio Maior e a almoçar no Centro de Estágios e Formação Desportiva de Rio Maior.

Texto e fotos: Carlos Manuel

Categorias:Em Destaque, Rio Maior Tags: , , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Rio Maior volta a receber o Challenger da NERSANT Rio Maior volta a receber o Challenger da NERSANT
Os Bombeiros Voluntários de Rio Maior em números Os Bombeiros Voluntários de Rio Maior em números
Includ-ED dá a volta ao Agrupamento Fernando Casimiro Includ-ED dá a volta ao Agrupamento Fernando Casimiro
A Seleção Nacional de Futsal está em Rio Maior A Seleção Nacional de Futsal está em Rio Maior

Responder

Enviar Comentário

© 2018 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.