Lagoas do Areeiro – Ar Puro sugere providência cautelar

O Movimento Ar Puro já respondeu publicamente à resposta da Câmara Municipal de Rio Maior, relativamente à questão da destruição das Lagoas do Areeiro de Rio Maior (pedreira “Condessinha 2”).

Assim, em comunicado, o Movimento Ar Puro congratula-se por, “finalmente, e apenas após insistência, o actual executivo camarário se ter dignado a prestar alguma informação aos riomaiorenses sobre o que se está a passar nas Lagoas do Areeiro de Rio Maior”, encarando essa abertura como “sinal de que vale a pena os cidadãos se organizarem e defenderem os seus direitos”.

De acordo com a nota do Movimento Ar Puro, a autarquia reconhece assim que está a avançar a destruição de uma das lagoas do Areeiro, bem como a existência de ilegalidades nas obras em curso, relembrando este movimento que “mesmo em terrenos privados há leis a cumprir!”.

O Movimento Ar Puro insiste ainda na falta de resposta relativamente à legalidade das obras face ao Plano Director Municipal de Rio Maior (PDM), lamentando ainda a “assumida passividade com que o actual executivo camarário está a encarar a destruição das Lagoas do Areeiro, enquanto mais-valia do concelho”, que, relembra, foi reconhecida no Plano Estratégico de Desenvolvimento de Rio Maior que o próprio executivo camarário aprovou há apenas um ano atrás, entendendo por isso que a “Câmara Municipal está a pretender lavar a mãos das suas responsabilidades” no licenciamento de obras no concelho.

Congratulando-se com o debate suscitado na comunidade local, e considerando que muitos riomaiorenses têm expressado o seu apreço pelas Lagoas do Areeiro e pelo potencial que estas representam para o desenvolvimento local, o Movimento Ar Puro, aproveitou a deixa para juntar a sua voz à desses cidadãos que deixaram algumas “questões pertinentes”, solicitando informações quanto a alternativas para:

  • a diminuição da capacidade de retenção das águas pluviais representada pela destruição das lagoas
  • o papel que as Lagoas do Areeiro têm tido no combate a incêndios na zona de Rio Maior, como habitual ponto de abastecimento de água para helicópteros
  • qual será a alternativa para que não desapareça também o lugar da cidade de Rio Maior no circuito nacional de provas de motocross
  • qual o destino que será dado às centenas de peixes existentes nas Lagoas do Areeiro
  • quais as garantias de que as terras que têm estado ali a ser depositadas não estão contaminadas com elementos poluentes que coloquem em causa o aquifero?

A nota que o Movimento Ar Puro fez circular, termina sugerindo à Câmara Municipal de Rio Maior que recorra a uma providência cautelar para parar as obras em curso que estão a destruir as Lagoas do Areeiro de Rio Maior, deixando ainda no ar dúvidas quanto à resposta que a CMRM terá endossado ao movimento, considerando este que o que se pedia eram esclarecimentos públicos e não privados.

Leia este e outras notícias, com maior detalhe nas páginas da edição em papel (Nº 1346 de 25 de Julho) do seu semanário favorito.

Categorias:Rio Maior Tags: , , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Região | Ecologia e Ambiente. Nuclear? Só os burros não mudam! Região | Ecologia e Ambiente. Nuclear? Só os burros não mudam!
Região | Ecologia e Ambiente. A qualidade do ar citadino Região | Ecologia e Ambiente. A qualidade do ar citadino
A evolução da qualidade alimentar da humanidade A evolução da qualidade alimentar da humanidade
GNR com mais 92 reforços para o SEPNA GNR com mais 92 reforços para o SEPNA

3 Comentários

  1. Celeste Mauricio diz:

    Em seguimento ás criticas das lagoas de Rio Maior, acho bem que sejam tapadas, porque os riomorenses já se devem ter esquecido das pessoas falecidas e os que ficaram presos no lodo do arieiro.

  2. Mário Vicente diz:

    A sério!?

    Epa, morreram umas quantas pessoas atropeladas por automóveis nas passadeiras cá em Rio Maior… bora lá soterrar as passadeiras… melhor ainda, bora lá enterrar os carros!

  3. julio ricardo diz:

    o movimento ar puro, enquanto movimento de cidadãos, deve apresentar a providência cautelar. teremos por aí alguém na área jurídica e de direito que organize o processo ?
    é um bocado bramar que "eles não podem enterrar a lagoa… ". mas vamos deixando que a lagoa seja entulhada. não concordamos que seja tapada, mas vão tapando.
    quanto às lagoas como recurso estratégico para o desenvolvimento da cidade… isso é outra conversa. os recursos só são oportunidades quando há inteligência para os valorizar. como não há essa dita coisa e que não abunda no nosso concelho, antes que sejam tapadas. Dor que não se vê, é dor que não se sente….

Responder

Enviar Comentário

© 2018 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.