O que há com o vírus da doença do beijo?

90% das pessoas já teve contacto com o vírus da doença do beijo.

beijo

Caraterizada pela ausência de sintomas, a doença do beijo afeta maioritariamente jovens com idades entre os 15 e os 25 anos. Estima-se que 90 por cento das pessoas já esteve em contacto com o vírus da doença em algum momento da vida.

“A mononucleose atinge o seu pico de incidência entre os 15 e os 25 anos, sendo muito rara a manifestação da doença a partir dos 30 anos. Cerca de 90 por cento dos adultos apresentam evidência serológica de terem tido a infeção no passado, sem sintomas associados”, explica Ana Teresa Boquinhas, especialista em Medicina Interna do Hospital de Cascais.

Embora não seja comum a manifestação de quaisquer sintomas, quando estes surgem podem confundir-se com os de uma gripe como, por exemplo, febre, fadiga, aumento dos gânglios linfáticos, dor de garganta, náuseas e mialgias.

Ana Teresa Boquinhas acrescenta ainda que “ocasionalmente, o envolvimento do fígado e do baço pode gerar sintomas menos frequentes como dor abdominal e icterícia e algumas complicações do sistema nervoso central poderão ocorrer, mas de forma muito rara”.

Para evitar o contágio, a médica aconselha: “Não devem ser partilhados os copos e os talheres, por exemplo, uma vez que a transmissão do vírus Epstein-Barr é feita através do contacto com secreções corporais, nomeadamente a saliva”.

Na presença do vírus, uma análise ao sangue revela um aumento dos linfócitos e das enzimas hepáticas, sendo posteriormente necessário confirmar o diagnóstico da doença através de um monoteste, um exame que permite mostrar se ocorreu uma infeção recentemente.

O tratamento da mononucleose é realizado por meio de antipiréticos e analgésicos, associados a repouso, sendo que a resolução da doença é espontânea entre duas a três semanas.

A mononucleose infeciosa é geralmente benigna e, sem tratamento dirigido, não evolui para uma doença grave.


O Hospital de Cascais é acreditado pela Joint Commission International, pela segurança e qualidade na prestação de cuidados de saúde. Foi a primeira unidade de saúde distinguida com uma certificação ambiental em Portugal. É gerido em parceria público-privada pela Lusíadas Saúde – uma marca que abrange Hospitais e Clínicas de norte a sul do país. É o primeiro grupo privado de saúde em Portugal a ter Hospitais acreditados (pela Joint Commission International).

Hospital Lusíadas Porto | Hospital Lusíadas Lisboa | Hospital Lusíadas Albufeira | Hospital Lusíadas Faro| Hospital de Cascais (PPP)

Clínica Lusíadas Gaia | Clínica Lusíadas Almada | Clínica Lusíadas Parque das Nações | Clínica Lusíadas Forum Algarve.

Categorias:Uncategorized Tags: ,

Também pode ser do seu interesse:

Região | Movimentos – Bombeiros Voluntários de Rio Maior em números Região | Movimentos – Bombeiros Voluntários de Rio Maior em números
Região | Futuro Salarium – Museu do Sal ficará situado na Fonte da Bica Região | Futuro Salarium – Museu do Sal ficará situado na Fonte da Bica
Região | Crónicas de Lisboa – Tema: Saudades do futuro Região | Crónicas de Lisboa – Tema: Saudades do futuro
Região | RMSC goleia Bombarralense na apresentação dos seniores Região | RMSC goleia Bombarralense na apresentação dos seniores

Responder

Enviar Comentário

© 2018 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.