Recordando certa fogueira de Natal

Junta de Freguesia de Rio Maior acendeu fogueira gigante para aquecer as noites até aos Reis…

Era esta a fogueira acesa em 2004, no terreno então vago entre o quartel dos Bombeiros Voluntários de Rio Maior e o Lidl.

Era esta a fogueira acesa em 2004, no terreno então vago entre o quartel dos Bombeiros Voluntários de Rio Maior e o Lidl.

“Na noite de quinta para a sexta-feira véspera de Natal, a Junta de Freguesia de Rio Maior acendeu uma fogueira enorme, entre o quartel dos bombeiros voluntários e o Lidl, a ver se “a moda pega” nesta cidade. Estas fogueiras, maiores até, são costume noutros pontos do país, quer em aldeias e vilas quer em cidades como por exemplo a Guarda, onde é acesa mesmo ao pé da sé catedral, em pleno empedrado de granito.

«Era um sonho que eu tinha de há muito tempo, fazer uma fogueira destas por altura do Natal», revelou António José Marcelino Silva, o presidente da junta. «Em anos anteriores não tínhamos os meios necessários, mas agora em 2004 adquirimos uma retroescavadora que nos permitiu ir carregar e trazer para aqui cepos velhos de eucalipto e alguma outra madeira», explicou, contando que uns e outra foram oferecidos por várias pessoas.

Até terça-feira última, 28 de dezembro, a fogueira já tinha consumido cinco carradas de lenha, mas a ideia inicial continuava de pé: mantê-la acesa até Dia de Reis. «Vamos lá ver se conseguimos», ponderou o autarca.

Se «a moda pegar» será interessante ver, no Natal de 2005, as pessoas a passarem serões agasalhadas ao calor da fogueira, em alegre cavaqueira, enquanto beberricam café e mordiscam umas chouriças, umas febras e umas velhozes. Houve quem tivesse sugerido que se vá por aí, como foi o caso de Isilda Soveral, a presidente da Assembleia Geral da Associação dos Bombeiros Voluntários de Rio Maior, que não está na fotografia porque apareceu um pouco mais tarde”, juntando-se ao grupo que a foto documenta e no qual em primeiro plano está António Timóteo, atualmente a trabalhar para a Junta de Freguesia de Rio Maior. Veem-se em segundo plano, da esquerda para a direita, José Santos Silva, atualmente no Quadro de Honra do Corpo de Bombeiros Voluntários de Rio Maior; João Verde da Costa; Paulo Cardoso, atual comandante do Corpo de Bombeiros Voluntários de Rio Maior, ao tempo 2º comandante; José Velho; Arlino Santos, na altura presidente da Assembleia Municipal e Silvino Sequeira, então presidente do Município. Atrás distinguem-se Hilário Santos, Alberto Barreiros, António José Marcelino Silva e Manuel Brites.

FOGUEIRA 2

“No concelho de Rio Maior há aldeias e bairros da periferia da cidade onde se acendem fogueiras por esta altura do ano.”

O artigo que acabou de ler foi publicado na edição nº 847, de 31/12/2004, do jornal Região de Rio Maior – há 12 anos portanto.

A fogueira foi feita no terreno onde hoje existe o prédio de apartamentos e lojas situado entre o quartel dos bombeiros e o Lidl.

Era uma senhora fogueira! “A moda é que não pegou”, o que não significa que não se faça uma ou outra fogueira de Natal, pequena, particular, num ou noutro quintal…

Como recordar é viver, ficam agora no nosso site as duas únicas fotos que tirámos na ocasião… Tinha-se acabado o rolo da máquina fotográfica.

Categorias:Rio Maior Tags: , ,

Também pode ser do seu interesse:

Região | Gestão do Desporto juntou mais de 300 congressistas Região | Gestão do Desporto juntou mais de 300 congressistas
Região | Cláudio Matias é o Bombeiro de Mérito 2017 da AHBVRM Região | Cláudio Matias é o Bombeiro de Mérito 2017 da AHBVRM
Região | Movimentos – Bombeiros Voluntários de Rio Maior em números Região | Movimentos – Bombeiros Voluntários de Rio Maior em números
Região | Aos 21 anos a ESDRM viu tomar posse o 5.º diretor: Luís Cid Região | Aos 21 anos a ESDRM viu tomar posse o 5.º diretor: Luís Cid

Responder

Enviar Comentário

© 2018 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.