Região | Feira de S. Gregório no Almonda Parque em Torres Novas

Almomda Parque em Torres Novas acolhe a tradicional Feira de S. Gregório, de 22 de Março a 7 de Abril

O Município de Torres Novas promove, entre os dias 22 de Março e 7 de Abril, a tradicional Feira de S. Gregório, também conhecida como Feira de Março, junto ao Almonda Parque.

A feira conta com áreas dedicadas aos equipamentos de diversão, aos bens alimentares como farturas, pipocas, algodão doce ou pão com chouriço e aos bens e serviços.

A feira funcionará no seguinte horário: de 2.ª a 5.ª feira das 12 às 22 horas; à 6.ª feira e sábado das 12 horas à uma hora da madrugada; e ao domingo das 10 às 20 horas.

Acredita-se que a feira de Março, ou de São Gregório, tenha sido instituída ainda no século XVI logo após a fundação de um convento no rossio do Carrascal, em Torres Novas, em 1558, dedicado a São Gregório Magno*, um antigo monge romano que chegou a papa da igreja católica no final do séc. VI e que foi aclamado santo logo que morreu.

A Feira de Março começou a realizar-se no dia 12 de Março, algures na segunda metade do séc. XVI, e primeiramente apenas nessa data, por ter sido o último dia do pontificado de Gregório Magno como papa. Mais tarde, a duração da feira seria alargada para três dias. Era inicialmente uma feira franca, não havendo lugar ao pagamento de terrados ou outro tipo de impostos, mas logo no início do séc. XVII a igreja e o convento conseguiram, por decreto real, que a câmara municipal ficasse obrigada a pagar-lhes anualmente 4000 réis pelo terrado. Mas, passados poucos anos, a câmara deixou de pagar essa quantia, alegando que a feira era franca e que não se cobrava qualquer imposto aos feirantes. Em 1840, por decisão camarária, a feira de Março deixaria definitivamente de ser uma feira franca, ao mesmo tempo que veria crescer a sua duração. Durante séculos a feira realizou-se sempre no rossio do Carrascal, também designado rossio do Carmo, para em meados do século XX ter passado a sediar-se no Rossio de São Sebastião, na parte alta da cidade. Aí se manteve nos últimos tempos de algum fulgor, que ainda se podia ver em finais dos anos 60.

Curiosidades

  1. Em Rio Maior existe o ribeiro de S. Gregório que atravessa a cidade e é afluente do rio Maior.
  2. Na cidade existe uma Rua de S. Gregório e uma Praceta de S. Gregório que é paralela à Rua Poeta Ruy Belo cujo traçado acompanha um troço do curso da ribeira de S. Gregório, rua essa com a qual se liga. A Rua de S. Gregório serve um conjunto de edifícios habitacionais situados por trás do Banco BIC e da Goipeças, entrando-se e saindo-se pela Avenida Dr. João Afonso Calado da Maia.
  3. No concelho de Rio Maior, S. Gregório Magno é o padroeiro da paróquia de Arruda dos Pisões (União de Freguesias de Outeiro da Cortiçada e Arruda dos Pisões), aldeia onde também há uma Rua de S. Gregório.
  4. Em Carvalhais (freguesia de Fráguas) existe uma capela erigida em honra de S. Gregório.
  5. Em Portugal, quando se fala de S. Gregório, é geralmente de S. Gregório Magno, havendo no Mundo mais alguns santos chamados Gregório.
Categorias:Economia Tags: , , , , , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Região | Coral Sinfónico leva música sul-americana ao Virgínia Região | Coral Sinfónico leva música sul-americana ao Virgínia
Região | Março somou 120 empresas ao distrito de Santarém. Região | Março somou 120 empresas ao distrito de Santarém.
Região | Aproximam-se as Tasquinhas de Rio Maior 2019 Região | Aproximam-se as Tasquinhas de Rio Maior 2019
Região | ATTP realiza o III Congresso Técnico Científico em Rio Maior Região | ATTP realiza o III Congresso Técnico Científico em Rio Maior

Responder

Enviar Comentário

© 2019 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.