Região | Fitoterapia: Estévia, mais potente que o açúcar de cana

Coordenação e texto de Tomás Duarte Ferreira | nairojorn@hotmail.com

ESTÉVIA

ESTÉVIA.

Originária do Brasil e Paraguai esta planta – Stevia rebaudiana – é considerada um potente adoçante natural, utilizado em larga escala em países como a Holanda e a Alemanha em substituição do tradicional açúcar de cana ou de beterraba.

O extrato de estévia é comercializado na forma de pó branco, possuindo um poder adoçante 70 a 400 vezes superior ao do açúcar de cana.

Durante algum tempo foi proibida na Europa por se admitir que tanto o esteviolcomo o esteviosídeo, componentes naturais desta planta, seriam potencialmente cancerígenos e abortivos, exercendo efeitos negativos sobre o sistema reprodutivo humano.

Estas conclusões referem-se à utilização de extrato obtido industrialmente e não ao uso das folhas. De qualquer maneira, como recomenda o conhecido aforismo jesuita, “Prudente como a serpente” isto é, nada de excessos não obstante os guaranis já a utilizarem há mil e quinhentos anos e no Japão ser usada há décadas em bebidas, sorvetes, iogurtes… Apesar de estar provado que o nosso organismo é capaz de eliminar os compostos tóxicos desta planta, quer pelo intestino quer pelo fígado e rins, manda a prudência que não se facilite e que, em caso de dúvida, se recorra à douta opinião médica.

Pode ser consumida por diabéticos, por não ser metabolizada pelo organismo, não afetando os níveis de insulina nem incluindo calorias na dieta. Pesquisas há  que concluíram ter o consumo de estévia ação hipoglicemiante e antihipertensiva, em doentes que padeçem de hipertensão.

Ter um deste arbustos no jardim, aproveitando as folhas, será a solução mais adequada.

Para isso semeie na primavera, no solo ou em vasos, e mantenha o substrato seco pois a planta gosta da terra fresca, sem encharcar. O solo arenoso é de sua preferência originando plantas com folhas maiores e mais edulcorantes. A reprodução também é possível por estaca.

Como obter adoçante de estevia caseiro 

Colha as folhas e deixe-as secar bem ao ar livre. Coloque-as no liquidificador até obter um pó fino. Assim se obtém o açúcar de estévia! Guarde em frasco hermético e em local fresco e seco. O poder edulcorante do pó assim obtido é vinte vezes superior ao do açúcar de cana.

Categorias:Saúde Tags: , , , , , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Região | Fitoterapia: o poejo, planta eficaz numa série de tratamentos Região | Fitoterapia: o poejo, planta eficaz numa série de tratamentos
Região | Floricultura – Hibisco, uma planta de folhas comestíveis Região | Floricultura – Hibisco, uma planta de folhas comestíveis
Região | Fitoterapia: a urze ou calluna vulgaris é boa até para as insónias Região | Fitoterapia: a urze ou calluna vulgaris é boa até para as insónias
Região | Fitoterapia: a melancia e as suas propriedades Região | Fitoterapia: a melancia e as suas propriedades

Responder

Enviar Comentário

© 2018 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.