Região | Floricultura – Hibisco, uma planta de folhas comestíveis

Coordenação e texto de Tomás Duarte Ferreira | nairojorn@hotmail.com

Hibisco

Síntese Prática

  • Nome científico – Hibiscus syriacus.
  • Nome comum – Hibisco, hibisco da Síria, rosa da China, rosa da Síria, mimo, rosa de saron…
  • Origem – Ásia Ocidental.
  • Tipo de planta – Perene.
  • Época de floração – Julho/Outubro.
  • Solo – Rico em matéria orgânica.
  • Exposição – Sol pleno.
  • Época de plantação – Outono/Primavera.
  • Multiplicação – Estacas  e semente.
  • Fitossanidade – Pulgões, cochonilha, mosca branca, botrytis…

HIBISCO.

Arbusto caducifólio, originário da China e da Índia, o Hibisco é das mais populares plantas exóticas cultivadas nas regiões europeias de clima ameno. Plantado em conjunto, ou isoladamente, o hibisco destaca-se pela abundante e prolongada produção florífera de junho a outubro. Em regiões de clima ameno, onde a ameaça de fortes e prolongadas geadas não exista, presta-se à formação de magníficas e polícromas  sebes vivas, que podem atingir 3 a 4 metros de altura.

Possuidor de copa natural em forma de vaso, exibe folhagem de textura média que, por efeito das podas, pode tornar-se mais compacta e adquirir os formatos que se desejarem. Frequente é a  condução como arvoreta de copa arredondada e caule único.

As folhas do Hibisco são comestíveis  podendo ser utilizadas na confeção de saladas e deliciosas geleias, ou em aromático chá. Ovaladas, lanceoladas e brilhantes possuem margens recortadas e coloração verde-escura.

O Hibisco faz parte da gastronomia de muitos paises africanos. Na Gâmbia o wonjo é um chá delicioso, feito com folhas de hibisco, com grande consumo. A utilização desta planta na produção de gelatina, ou como corante natural devido à sua cor vermelha, é também frequente. Para fins medicinais é utilizado como estimulante do anseio sexual feminino, hipotensor, diurético, laxante, digestivo, etc. É o símbolo nacional do Hawai, onde existem cerca de cinco mil variedades.

As flores habitualmente róseas, vermelhas, roxas, azúis, brancas podem também exibir coloridas combinações entre si, revelando formas simples e dobradas.

O hibisco é o símbolo da virtude, da avidez e da beleza sugerindo o apego à boa sorte isto é, ao optimismo.

Instalação e Cultura

Apesar de ser uma planta rústica, que suporta bem a seca, o êxito cultural do Hibisco depende da existência de um solo fértil, bem adubado, com razoável teor de matéria orgânica, boa capacidade de drenagem, periodicamente irrigado e exposto a sol pleno. A preparação do local de plantação deve executar-se com antecedência de dois meses. Em regiões frias a plantação tem lugar entre outubro e março, em locais abrigados, expostos a sul ou a oeste. Evitar sempre danificar as raízes, para que as plantas não se ressintam mais tarde. Uma rega abundante finalizará este trabalho. O hibisco é uma planta rústica que suporta bem a seca, tolera geadas ligeiras, e temperaturas baixas mas não muito prolongadas.

Adubações mensais da primavera ao outono estimulam a floração e a produção de flores.No fim do inverno é necessário realizar uma poda intensa para fortificar a planta, ajudando-a a suportar o longo período de floração a que irá estar submetida.

Em climas quentes a poda deve realizar-se no fim do inverno, e no início da primavera em regiões de clima moderado. O hibisco é uma das plantas que floresce sobre os ramos do ano isto é, sobre os rebentos resultantes da rebentação primaveril. Quanto maior for a atividade vegetativa da planta e maior a produção de rebentos, mais abundante será a floração. Uma das operações culturais mais estimulantes e influentes na produção de flores é a poda. Uma poda forte provoca maior rebentação e, por conseguinte, floração mais abundante, do que a que pode ser obtida com uma poda ligeira.

Multiplicação

A obtenção de novas plantas pode conseguir-se por semente ou estaca.O melhor método de propagagação é o que utiliza estacas semi-lenhosas.Tem lugar em julho/agosto, sendo aconselhável calor de fundo e hormonas de enraizamento para obtenção dos melhores resultados.O método de mergulhia pode também dar bons resultados verificando-se o enraizamento,se bém conduzida a operação,decorridas  seis a oito semanas.

Fitossanidade

As doenças mais frequentes nestas plantas são:

  • Folhas manchadas por acção de fungos (Alternaria tenuis, cercospora…), ferrugem, podridão cinzenta, podridão das raízes…

Das pragas que maiores problemas podem causar, destaco as seguintes:

  • Pulgão, Cochonilha, Aranhiço vermelho, Mosca branca…
Categorias:Diversos Tags: , , , , , , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Região | Fitoterapia: Estévia, mais potente que o açúcar de cana Região | Fitoterapia: Estévia, mais potente que o açúcar de cana
Região | APAV reage ao Acórdão do Tribunal da Relação do Porto Região | APAV reage ao Acórdão do Tribunal da Relação do Porto
Anona Anona
Gerânio Gerânio

Responder

Enviar Comentário

© 2018 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.