Região | Números de Rio Maior num ano de colaboração com a APAV

165 vítimas já referenciadas e diligenciadas em Rio Maior num ano de colaboração entre o Município e a APAV.

O Município de Rio Maior e a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), representados pelos seus presidentes, respetivamente Isaura Morais e João Lázaro, assinaram em 27 de novembro de 2017 um protocolo de colaboração que regulamentou a colaboração e cooperação direta e recíproca entre as duas entidades, no âmbito do Projeto Equipa Multidisciplinar de Apoio à Vítima (EMAV) de Violência Doméstica e de Género. O referido projeto é cofinanciado pelo Programa Operacional Inclusão Social e Emprego, através do Fundo Social Europeu.

Entre as suas atribuições cabe ao Município encaminhar para o Gabinete de Apoio à Vitima de Santarém os munícipes que sejam vítimas de crimes e pretendam beneficiar do apoio da APAV.

À APAV cabe receber as vítimas encaminhadas pelos técnicos da autarquia e disponibilizar os serviços de apoio genérico, emocional e especializado, de âmbito jurídico, psicológico e social, prestados pelos Técnicos de Apoio à vitima da APAV, de acordo com as capacidades e recursos do Gabinete de Apoio à Vítima de Santarém.

Para ajudar a viabilizar a instalação da EMAV, o Município de Rio Maior assumiu contribuir com uma comparticipação financeira anual no valor de 10 000€, pago em duodécimos, com a contrapartida do atendimento e prestação de serviços de apoio emocional, jurídico, psicológico e social às vítimas de crime no concelho, a prestar formação de Técnico de Apoio à Vítima a um técnico designado pelo Município, no centro de formação da APAV, e a implementar ações de informação e sensibilização às populações do concelho de Rio Maior.

Os números de Rio Maior de novembro de 2017 a novembro de 2018.

Volvido que está um ano desde que o protocolo de colaboração entre o Município de Rio Maior e a APAV foi assinado, o vereador Miguel Santos, que detém o pelouro da Ação Social, deu a conhecer na reunião de Câmara de 28 de dezembro de 2018 os números relativos a este primeiro ano de colaboração no quadro do referido protocolo, satisfazendo assim um pedido anterior da vereadora socialista Vera Simões. Eis esses números:

  • Contactos com vítimas já referenciadas e diligenciadas: 165.
  • Há 32 novos casos referenciados, sendo a grande maioria de violência doméstica contra mulheres. Destes 32 casos:

– 1 caso refere-se a vítima de crime violento – tentativa de homicídio;

– 3 casos são de violência contra idosos, dos quais 1 com exposição por internamento compulsivo;

– e 1 caso de violência no desporto.

  • 2 vítimas de violência doméstica foram retiradas de emergência para casas de abrigo.

Segundo o vereador ter-se-á registado o envolvimento do gabinete de Rio Maior noutros dois casos de acolhimento em casas de abrigo, tratando-se de vítimas que recorreram à linha de emergência da APAV.

Ficou ainda a saber-se que dos casos referenciados, cerca de uma dezena de pessoas mantêm acompanhamento psicológico regular, sendo algumas delas crianças que assistiram aos atos de violência.

Os trabalhos de apoio às vítimas são seguidos de perto pela técnica municipal, Catarina Gomes, a quem o autarca deixou parabéns pelo trabalho desenvolvido.

CD/Carlos Manuel

Categorias:Sociedade Tags: , , , , , , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Região | Município cede viaturas novas ao Centro de Saúde de Rio Maior Região | Município cede viaturas novas ao Centro de Saúde de Rio Maior
Região | Grande Prémio Internacional em Marcha Atlética – 6 de Abril Região | Grande Prémio Internacional em Marcha Atlética – 6 de Abril
Região | Movimentos – Bombeiros Voluntários de Rio Maior em números Região | Movimentos – Bombeiros Voluntários de Rio Maior em números
Região | Isaura em Academia de Formação Política para Mulheres Região | Isaura em Academia de Formação Política para Mulheres

Responder

Enviar Comentário

© 2019 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.