Secretária de Estado gostou muito da E.B.I. Marinhas do Sal

“Gostei muito!” – afirmou a Secretária de Estado Alexandra Leitão no fim da visita que fez à da Escola Básica Integrada Marinhas do Sal de Rio Maior.

As boas-vindas à secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, foram dadas no átrio da Escola.

“A par das instalações, que em parceria com a Câmara Municipal tiveram uma intervenção de cerca de 270 mil euros que melhorou as condições deste estabelecimento de ensino, designadamente com a sala que ficou insonorizada, a pintura, coberturas, tive a oportunidade de ver aquilo que é uma aposta da Escola que são os clubes, as várias atividades que os alunos desenvolvem e que dentro daquilo que nós, no Ministério, entendemos ser a educação no sentido mais amplo, porque não é só o ensino formal mas também todos estes aspetos, portanto acho que encontrei aqui um bom exemplo a seguir. Foi uma manhã bem passada. Gostei muito!” – declarou a secretária de Estado Adjunta e da Educação Alexandra Leitão, ao site Região de Rio Maior, no final da visita que efetuou ontem, terça-feira, 9 de janeiro, à escola sede do Agrupamento de Escolas Marinhas do Sal, de Rio Maior.

A secretária de Estado, que foi acompanhada nesta visita pelo delegado regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo, Francisco Neves, tinha a aguardá-la à chegada, a presidente do Município, Isaura Morais e o diretor da Escola Básica Integrada Marinhas do Sal, professor Carlos Ribeiro. Presentes estiveram também o vice-presidente da Câmara, Luís Filipe Santana Dias, a vereadora da Educação, Ana Filomena Figueiredo, os vereadores Miguel Santos e João Teodoro Miguel, o 1º secretário da mesa da Assembleia Municipal, Carlos Neto e o presidente da Junta de Freguesia de Rio Maior, João Carlos Rebocho.

Um agrupamento musical de alunos interpretou o Hino da EBI Marinhas do Sal e acompanhou a evolução de alunas do Clube de Dança. No lado oposto um conjunto de alunos dos clubes de Cadetes da Marinha e do Exército, perfilava-se como que a prestar guarda de honra.

As boas-vindas foram dadas no átrio da Escola onde se concentraram alunos, professores e funcionários. Ali, um agrupamento musical de alunos não só interpretou o Hino da EBI Marinhas do Sal como acompanhou a evolução de alunas do Clube de Dança, enquanto outro grupo, este dos clubes de Cadetes da Marinha e do Exército, perfilava-se como que a prestar guarda de honra.

No patamar da escadaria de acesso ao piso superior, uma coroa de alunos compunha o quadro da receção.

Carlos Ribeiro caraterizou a escola que dirige como sendo “a escola dos projetos” – “temos imensos projetos” (quatro deles no âmbito do Erasmus+), “inúmeros clubes”, porque “a aprendizagem não se centra só no currículo, que é muito importante mas há outras aprendizagens para além do currículo” –, falou da excelência da equipa de trabalho que a serve e da oferta educativa que proporciona, elencou as recentes obras de restauro e qualificação – “foi muito importante a verba transferida pelo Ministério da Educação, sem ela não teríamos pintado a Escola (…) permitiu-nos ver como que o seu renascer” –, obras essas que incluem a criação da Sala Nobre que é uma “sala de aula do futuro” e a insonorização de outra sala para aprendizagem da música e ensaios musicais e que terão elevado os níveis motivacionais dos docentes, funcionários e alunos. Mas o diretor foi adiantando que agora para 2018 vão “querer mais”, sendo que entre algumas dificuldades a superar a mais preocupante tem a ver com a climatização do edifício, um tipo de problema para o qual sabe que “o Ministério está desperto”.

Na sala de Programação Informática e Robótica e uma perspetiva da Sala do Futuro.

Carlos Ribeiro deixou agradecimentos a diversas entidades pelo apoio prestado à EBI Marinhas do Sal.

Na sua breve intervenção a presidente da Câmara referiu a recetividade encontrada no Ministério da Educação junto de Alexandra Leitão para a necessidade das obras de que a Escola carecia ou ainda necessita, bem como o reconhecimento da secretária de Estado de que existia capacidade local para as operar. “O nosso compromisso é continuar a trabalhar com os Agrupamentos escolares em função das suas necessidades”, afirmou a autarca que defendeu a proximidade como garante de poupança, eficácia e celeridade.

Na sala onde se aprende a manufaturar sabonetes.

“A melhor forma de melhorar as nossas escolas, não só mas sobretudo também no que toca às instalações é através destas parcerias entre o Ministério e as autarquias”, concordou a secretária de Estado.

Ainda no átrio foi descerrada uma placa alusiva ao momento.

Inauguração da Sala da Música, com um excelente coro do Ensino Articulado da Música.

Na visita guiada por Carlos Ribeiro às instalações da Escola, Alexandra Leitão teve ocasião de trocar impressões com alunos do Clube Europeu envolvidos em vários projetos, assistiu a mais duas demonstrações de alunos de música, uma delas a de um excelente coro do Ensino Articulado da Música, na Sala de Música que foi assim inaugurada, lanchou na cozinha pedagógica, visitou a Sala Nobre a ser equipada com meios informáticos oferecidos pela Nobre Alimentação, a sala de Programação Informática e Robótica, a sala onde os alunos aprendem a manufaturar sabonetes e a Biblioteca.

Na Biblioteca.

Texto e fotos: Carlos Manuel

Categorias:Educação Tags: , , , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Região | Piscina de 25 m de Rio Maior vai ter melhor isolamento Região | Piscina de 25 m de Rio Maior vai ter melhor isolamento
Emissão Filatélica dos CTT vencem Prémio ASIAGO 2017 Emissão Filatélica dos CTT vencem Prémio ASIAGO 2017
CAR com nova promoção internacional da Fundação do Desporto CAR com nova promoção internacional da Fundação do Desporto
Reflexão: “Desporto, sim. Mas reverenciamos, igualmente, mente sã.” Reflexão: “Desporto, sim. Mas reverenciamos, igualmente, mente sã.”

Responder

Enviar Comentário

© 2018 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.