Simulacro testou capacidade de resposta em caso de sismo

UE do Carregado – Delegação de Alenquer da Cruz Vermelha Portuguesa

Simulacro testou capacidade de resposta em caso de sismo.

Realizou-se, no dia 9 de janeiro de 2016, na área do Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea, o exercício «SharpSkils 2016». O simulacro iniciou-se às 8h00 e durou até às 12h00 do dia seguinte.

Para além de promover o treino em cenários multi-vítimas, o simulacro teve também como finalidade testar a capacidade de resposta da Unidade de Emergência (UE) do Carregado, da Delegação da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) de Alenquer a um possível “terramoto” e validar os pressupostos operacionais.

Durante 28 horas, e de forma ininterrupta, esta UE respondeu a vários cenários lançados, tais como derrocadas em estacionamentos subterrâneos, escolas e superfícies comerciais colapsadas e transportes públicos acidentados.

Após o sismo, e com a falta de auxílio vinda do exterior do concelho a fazer parte desta simulação, foi testada a capacidade de socorrer a população com os meios disponíveis no local. Para o efeito foi montado um posto médico avançado e lançadas equipas de socorro no terreno.

Foi a primeira vez que a Unidade de Emergência do Carregado testou a sua capacidade de resposta neste tipo de cenário, tendo sido várias as valências avaliadas, como coordenação de comando, comunicações, avaliação e reconhecimento, emergência pré-hospitalar em cenário multi-vítima e gestão de comunicação social.

Estiveram envolvidos neste exercício duas viaturas de socorro, duas viaturas de transporte múltiplo, uma viatura de comando, uma viatura de apoio logístico, 22 socorristas, 48 figurantes e sete avaliadores independentes.

Segundo o vice-presidente da Cruz Vermelha de Alenquer, Vítor Fernandes, o «SharpSkills 2016» apresentou “um saldo francamente positivo por ter permitido testar em ambiente real os pressupostos operacionais para a atuação em cenários de exceção com multi-vítimas”. E frisou: “Foram identificadas fragilidades e procedimentos menos corretos que, agora corrigidos, permitem que possamos oferecer à população que servimos um socorro mais adequando e otimizado, dando a esta delegação a possibilidade de fazer mais com os mesmos meios”.

Este simulacro baseou-se no sismo ocorrido em 1909 em Benavente com magnitude de 6.6 na escala de Richter e que provocou elevados danos no concelho de Alenquer. Para o sucesso deste exercício foi essencial o apoio do CFMTFA e do Grupo de Escoteiros 213 de Ota.

Categorias:Regional Tags: , , , , ,

Também pode ser do seu interesse:

CVP em ação na recuperação após os incêndios CVP em ação na recuperação após os incêndios
Pintar e Cantar os Reis a património cultural imaterial Pintar e Cantar os Reis a património cultural imaterial
Município do Cadaval participa em simulacro distrital de cheias Município do Cadaval participa em simulacro distrital de cheias
CANOA – Cenário de cheias testa capacidade de socorro CANOA – Cenário de cheias testa capacidade de socorro

Responder

Enviar Comentário

© 2018 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.