Susto no IV Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo

Acidente leva IV Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo a interromper a marcha

Homem cai em precipício de difícil acesso nas escarpas do Tejo.

cruzeiro_1

Está a decorrer desde 28 de maio e para durar até 18 de junho de 2016 o IV Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo, ligando pelo rio, Vila Velha de Ródão ao grande estuário do Tejo, em Oeiras.

Realizado por embarcações típicas do Tejo, como o tradicional picoto e a bateira, que transportam a imagem de Nossa Senhora dos Avieiros e do Tejo, em peregrinação fluvial às comunidades ribeirinhas e às aldeias Avieiras, nas margens do Tejo, o Cruzeiro tem como objetivos específicos:

– Reforçar a identidade das comunidades, aproximando-as através da partilha cultural e religiosa.

– Aproximar as comunidades do rio Tejo para usufruírem da sua riqueza.

– Transformar as comunidades ribeirinhas em elementos divulgadores das enormes potencialidades do rio na área do Turismo Sustentável e das Culturas a ele associadas.

Durante o decorrer deste Cruzeiro, que conta com o apoio dos Fuzileiros Navais da Marinha de Guerra Portuguesa, “um cidadão de nacionalidade espanhola sofreu uma queda num precipício nas escarpas do Rio Tejo entre a Barragem do Fratel e a Barca da Amieira, no sábado, 28 de maio. O grave acidente ocorreu na altura em que, por coincidência, as embarcações do Cruzeiro estavam a passar pelo local e se constatou que os Bombeiros presentes não tinham meios suficientes para retirar a pessoa sinistrada de onde se encontrava, dadas as dificílimas condições de acesso”, relatam da parte da organização a AIDIA – Associação Independente para o Desenvolvimento Integrado de Alpiarça e a ENVOLVE – Associação Social do Rossio ao Sul do Tejo – Abrantes.

Dadas as dificuldades de acesso à vítima e à demora estimada de intervenção do meio aéreo, os Bombeiros recorreram ao apoio dos Fuzileiros que integravam o Cruzeiro. “Este foi imediatamente interrompido e os meios dos Fuzileiros foram destacados para dar apoio aos Bombeiros e à vítima”, refere a organização, que descreve:

“Com esta colaboração conjunta e com um enorme risco de queda para todos os intervenientes, foi possível aos Bombeiros estabilizarem a vítima numa maca e descê-la para um dos botes dos Fuzileiros que a transportou finalmente para a margem do Tejo, onde pôde ser socorrida em condições. A operação durou cerca de 45 minutos. Esta operação foi de uma enorme complexidade e com enormes dificuldades que todos tiveram para que  a vítima fosse evacuada em segurança na embarcação dos Fuzileiros, transportada rapidamente para a margem e depois para a ambulância que se encontrava no cais da Amieira do Tejo.

Após manobras de estabilização, a vítima foi transportada para o Hospital de Portalegre. Segundo dados do Hospital, o nome do cidadão da zona de Badajoz é José Manuel Montes Rodriguez.”

Sabe-se que vítima sofreu um sério traumatismo craniano e uma severa contusão no tórax, que a intervenção dos Fuzileiros e dos Bombeiros evitou danos que seriam mais graves se a assistência tivesse sido mais demorada, e que conseguiu recuperar e se encontra livre de perigo.

O Cruzeiro foi retomado somente depois de o sinistrado ter sido colocada na ambulância e enviado para o Hospital.

Categorias:Regional Tags: , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Indústria extrativa e transformadora de Porto de Mós Indústria extrativa e transformadora de Porto de Mós
Em Janeiro o Porco.pt é Rei Em Janeiro o Porco.pt é Rei
Judo: formação de dirigentes, árbitros e treinadores Judo: formação de dirigentes, árbitros e treinadores
Reduzir as emissões de CO2 atmosférico é preciso! Reduzir as emissões de CO2 atmosférico é preciso!

Responder

Enviar Comentário

© 2018 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.