+ Teatro surpreendeu com “No Limite”

No Limite do que se pode dizer sem cair em exageros é que: Alexandra Augusto, Beatriz Costa, Henrique Carvalho, Ilda Marques, Inês Marques, Joana Gomes, Joana Rogério, Joana Silva, João Salmim, José Montez, Jéssica Santos, Vanessa Dias e Vitor Dias encheram o palco do Cineteatro Municipal de Rio Maior com um desempenho artístico digno dos maiores elogios, nas duas apresentações que o «+ Teatro» fez da peça «No Limite», nas noites de 31 de Janeiro e 7 de Fevereiro. Mais: encheram o anfiteatro as duas vezes!

Para este êxito contribuíram logo no início a cantora Regina Filipe a «Voz de Rio Maior», acompanhada à guitarra por Bernardo Martins. Depois, durante cerca de uma hora, cena a cena actores e actrizes mantiveram os espectadores num crescendo de interesse e emoção, de resto amplamente sublinhados com os aplausos tributados.

«No Limite» é uma peça de teatro que retrata uma família desregrada e com um estilo de vida acima das suas posses – a mulher, esbanjadora e com ridículas aspirações a “socialite”, ele, de fraco carácter, incapaz de instilar algum bom senso no lar – e as consequências dramáticas a que a mesma acaba por chegar: a sua desintegração, a morte de uma filha que já seguia as pisadas da mãe, consumia droga e não respeitava minimamente as opiniões ou conselhos do pai e daí o desastre que lhe ceifou a vida, enfim um médico alcoolizado, vergado pela consciência de que contemporizara tempo a mais com aquele estado de coisas, chegando ao ponto de desviar dinheiros da clínica de que era sócio, para o manter, acabando por ser expulso pela sócia e amiga de longa data, farta dos desvarios dele.

«No Limite» é uma peça escrita por Fernando Costa e Daniela Amorim, que são também os ensaiadores. «+ Teatro» é um grupo de formação recente, constituído quase todo por jovens riomaiorenses. A ideia de o formar “foi amadurecida”, afirma Fernando Costa, explicando depois ter sido “professor da maioria deles em dois cursos distintos de Animação Sociocultural na Escola Secundária Dr. Augusto César da Silva Ferreira” e que ao longo do tempo foram consolidando a ideia de continuarem a fazer teatro. De resto nessa altura não havia teatro na cidade e então, quando a oportunidade se proporcionou, “em vez de um criámos dois grupos de teatro: o «Quartas Teatro» e o «+ Teatro»”.

O «Quartas Teatro» fez a sua peça em 2014 e agora prepara-se para voltar ao palco, “provavelmente no início de 2016”. O «+ Teatro» é constituído exclusivamente por pessoas do concelho de Rio Maior, todos jovens – “A jovem mais ‘velha’ é a Ilda” (n.r.: que grande desempenho no papel de aspirante a “socialite”!), “os outros são todos jovens com idades até aos 25 ou 26 anos, jovens universitários e jovens que trabalham e que roubam horas aos seus fins de semana para virem encenar e ensaiar.”

Justamente porque uns estudam e outros já trabalham, ter uma peça como «No Limite» pronta a apresentar levou-lhes cerca de uma ano a ensaiar, à média de duas vezes por mês, “ao sábado de manhã e quando o Cineteatro nos podia dispensar umas horinhas. A trabalharmos afincadamente levaríamos uns três meses”, elucida Fernando Costa, um homem com razões para estar satisfeito, tal como a colega Daniela Amorim, porque o “investimento” que fizeram como professores de Animação Sociocultural está a dar frutos, pelo que irão tentar manter o teatro, com peças que sejam do agrado das pessoas e contenham mensagens positivas. “As mensagens da peça «No Limite» vêm dos workshops que eu vou realizando através do Serviço de Juventude da Câmara; neste caso foi a denúncia do alcoolismo e do consumo de drogas, bem como a crítica a um certo novo riquismo”.

E agora o que é que vai acontecer? “Bom, isto é um grupo de teatro amador mas a verdade é que já manifestaram interesse em continuar. Provavelmente apresentarão uma a duas peças por ano”, afirmou Fernando Costa.

Mas a grande notícia para os nossos leitores por esse concelho de Rio Maior fora, é que o «+ Teatro» tem a intenção de levar a peça que vão construir a seguir, às freguesias rurais.

Categorias:Artes e Cultura Tags: , ,

Também pode ser do seu interesse:

Ciclo Manoel Barbosa em Coimbra culminará num livro-monografia Ciclo Manoel Barbosa em Coimbra culminará num livro-monografia
Cineteatro de Constância: Município adquire edifício por usucapião Cineteatro de Constância: Município adquire edifício por usucapião
Diga 33 com Pedro Mexia e Miguel-Manso convidados Diga 33 com Pedro Mexia e Miguel-Manso convidados
Mercadinho Romano de Rio Maior já tem programa provisório Mercadinho Romano de Rio Maior já tem programa provisório

Responder

Enviar Comentário

© 2018 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.