NSRM – Juvenis deixaram escapar vitória

Na passada manhã de domingo, dia 23 de Novembro, no Complexo Desportivo de Rio Maior, a equipa de Juvenis A, do Núcleo Sportinguista de Rio Maior, recebeu a congénere do Atlético Clube de Portugal.

O objectivo prioritário deste jogo passava pela conquista dos 3 pontos, mas no final, o objectivo não foi conseguido, fincando para a história a divisão de pontos com a particularidade de, em 15-20 minutos, a equipa visitante ter tido um nível de aproveitamento singular: 100%, conseguindo, em três remates à baliza riomaiorense, fazer outros tantos golos, conseguindo dessa forma a reviravolta no resultado, depois de ter estado a perder por 2-0.

A equipa do NSRM começou o jogo com um futebol apoiado, de posse, com transições rápidas e, com naturalidade, aos 9 minutos, por intermédio de Arnaldo, e aos 26 através de Bacalhau (talvez na jogada mais bonita do encontro, com a bola a circular com intensidade, a ser cruzada do corredor esquerdo, com o ponta-de-lança a simular a intervenção e o nº 10 a aparecer à entrada da área, a colocar a bola entre o GR e o poste do lado direito num remate certeiro), a chegou ao 2-0.

Foi um período claramente dominador por parte da equipa de Rio Maior, com cerca de 70% de posse bola e meia dúzia de remates. A partir da meia hora de os jovens atletas de verde-e-branco tornaram-se complacentes, e no primeiro remate do Atlético (aos 35 minutos) surgiu o primeiro golo dos visitantes, que não se ficaram por aqui já que no segundo remate voltaram a fazer novo golo, empatando a partida. A surpresa chegou aos 49 minutos de jogo, altura em que, no terceiro remate dos visitantes (aos 49′), o Atlético marcou novo golo consumando a reviravolta no marcador.

A perder por 3-2, o técnico Tiago Pedro optou por substituir a criatividade do meio campo por maior equilíbrio defensivo e maior frescura física, lançando também mais um avançado, passando a apostar num futebol mais directo. Mas só quando faltavam dois minutos para o final do tempo regulamentar, foi reposta alguma justiça no marcador, com o golo, na marcação de uma grande penalidade, por intermédio de Araújo, que dessa forma restabeleceu a igualdade que havia de subsistir até final.

O jogo terminou com o empate 3-3, com mais posse de bola (61%), mais remates (12 contra 3) para a equipa do NSRM.

Num jogo onde a eficácia de uns (Atlético) e a ineficácia de outros (NSRM) foram determinantes, os danos foram minimizados com um empate ao cair do pano, que acaba por ser um mal menor. Para os rio-maiorenses fica, para memória futura, a necessidade nunca “tirar o pé do acelerador” (o que aconteceu entre os minutos 35′ e 50′), e que a eficácia defensiva é tão importante como a finalização.

Jogaram pelo NSRM, André Cotovio, Digui, Tiago Mateus, Filipe Lourenço e David Agostinho, Rodrigo Antão, Francisco Batista e Carlos Filipe Bacalhau, Oleg, Arnaldo e Francisco Fernandes (Kiko). Jogaram ainda Manuel Cordeiro, André Santos e Rúben Araújo.

Texto & Foto: Carlos Bacalhau

Categorias:NSRM Tags: , , ,

Também pode ser do seu interesse:

AFS adotou medidas de apoio ao futebol e futsal AFS adotou medidas de apoio ao futebol e futsal
Alexandre Ribeiro do Rio Maior Triatlo, na Lituânia Alexandre Ribeiro do Rio Maior Triatlo, na Lituânia
NSRM na Copa Guadiana 2017 NSRM na Copa Guadiana 2017
Juniores do Sporting, campeãs em Rio Maior Juniores do Sporting, campeãs em Rio Maior

Responder

Enviar Comentário


cinco + = 14

© 2017 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.