Susto no IV Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo

Acidente leva IV Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo a interromper a marcha

Homem cai em precipício de difícil acesso nas escarpas do Tejo.

cruzeiro_1

Está a decorrer desde 28 de maio e para durar até 18 de junho de 2016 o IV Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo, ligando pelo rio, Vila Velha de Ródão ao grande estuário do Tejo, em Oeiras.

Realizado por embarcações típicas do Tejo, como o tradicional picoto e a bateira, que transportam a imagem de Nossa Senhora dos Avieiros e do Tejo, em peregrinação fluvial às comunidades ribeirinhas e às aldeias Avieiras, nas margens do Tejo, o Cruzeiro tem como objetivos específicos:

- Reforçar a identidade das comunidades, aproximando-as através da partilha cultural e religiosa.

- Aproximar as comunidades do rio Tejo para usufruírem da sua riqueza.

- Transformar as comunidades ribeirinhas em elementos divulgadores das enormes potencialidades do rio na área do Turismo Sustentável e das Culturas a ele associadas.

Durante o decorrer deste Cruzeiro, que conta com o apoio dos Fuzileiros Navais da Marinha de Guerra Portuguesa, “um cidadão de nacionalidade espanhola sofreu uma queda num precipício nas escarpas do Rio Tejo entre a Barragem do Fratel e a Barca da Amieira, no sábado, 28 de maio. O grave acidente ocorreu na altura em que, por coincidência, as embarcações do Cruzeiro estavam a passar pelo local e se constatou que os Bombeiros presentes não tinham meios suficientes para retirar a pessoa sinistrada de onde se encontrava, dadas as dificílimas condições de acesso”, relatam da parte da organização a AIDIA – Associação Independente para o Desenvolvimento Integrado de Alpiarça e a ENVOLVE – Associação Social do Rossio ao Sul do Tejo – Abrantes.

Dadas as dificuldades de acesso à vítima e à demora estimada de intervenção do meio aéreo, os Bombeiros recorreram ao apoio dos Fuzileiros que integravam o Cruzeiro. “Este foi imediatamente interrompido e os meios dos Fuzileiros foram destacados para dar apoio aos Bombeiros e à vítima”, refere a organização, que descreve:

“Com esta colaboração conjunta e com um enorme risco de queda para todos os intervenientes, foi possível aos Bombeiros estabilizarem a vítima numa maca e descê-la para um dos botes dos Fuzileiros que a transportou finalmente para a margem do Tejo, onde pôde ser socorrida em condições. A operação durou cerca de 45 minutos. Esta operação foi de uma enorme complexidade e com enormes dificuldades que todos tiveram para que  a vítima fosse evacuada em segurança na embarcação dos Fuzileiros, transportada rapidamente para a margem e depois para a ambulância que se encontrava no cais da Amieira do Tejo.

Após manobras de estabilização, a vítima foi transportada para o Hospital de Portalegre. Segundo dados do Hospital, o nome do cidadão da zona de Badajoz é José Manuel Montes Rodriguez.”

Sabe-se que vítima sofreu um sério traumatismo craniano e uma severa contusão no tórax, que a intervenção dos Fuzileiros e dos Bombeiros evitou danos que seriam mais graves se a assistência tivesse sido mais demorada, e que conseguiu recuperar e se encontra livre de perigo.

O Cruzeiro foi retomado somente depois de o sinistrado ter sido colocada na ambulância e enviado para o Hospital.

Categorias:Regional Tags: , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Mosteiro de Alcobaça nas Jornadas Europeias do Património Mosteiro de Alcobaça nas Jornadas Europeias do Património
EXPO FUNERÁRIA na Exposalão, na Batalha EXPO FUNERÁRIA na Exposalão, na Batalha
As pessoas com demência beneficiam com terapias de grupo As pessoas com demência beneficiam com terapias de grupo
Centro de Dia de Alcobertas, à espera do PORTUGAL 2020 Centro de Dia de Alcobertas, à espera do PORTUGAL 2020

Responder

Enviar Comentário


seis + = 14

© 2017 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.