Politécnicos – posição dos presidente dos Conselhos Gerais

Os presidentes dos Conselhos Gerais dos Politécnicos tomaram hoje, sábado, 22/10/2016, posição exigindo a atribuição da competência legal às suas instituições para a outorga do grau académico de doutor.

Dada a importância deste assunto para o futuro do ensino superior publica-se a seguir o comunicado emitido pelos presidente dos Conselhos Gerais dos Politécnicos, no seguimento da reunião que mantiveram em Leiria:

— Os presidentes dos Conselhos Gerais dos Politécnicos de Bragança, Castelo Branco, Cávado e Ave, Coimbra, Guarda, Leiria, Lisboa, Portalegre, Porto, Santarém, Setúbal, Tomar e Viseu, comunicam – no seguimento de reunião em Leiria em que participaram também presidentes ou vice-presidentes destes Politécnicos – a sua determinação em:

1. Defender a atribuição às instituições politécnicas da competência legal para a outorga do grau académico de doutor, uma vez verificadas, pela agência reguladora (A3ES), as condições científicas e pedagógicas previstas na Lei para o efeito;

2. Trabalhar no sentido de conseguir autorização da tutela para ser adotada pelas instituições politécnicas em documentos oficiais e de informação ou divulgação produzidos em língua estrangeira, uma das designações utilizadas pela EURASHE – Associação Europeia de Instituições de Ensino Superior –, designadamente em língua inglesa, university of applied sciences.

Esta posição tem por base as seguintes considerações:

3. As responsabilidades e competências dos Conselhos Gerais das instituições em matéria da sua orientação estratégica (nos termos do artigo 82º do Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior);

4. As estratégias de desenvolvimento adotadas pelos diferentes Politécnicos;

5. A evolução dos Institutos Politécnicos desde a sua formação, pautada pela pressão do acesso ao ensino superior, assim como, mais recentemente, marcada pela qualificação – ao mais alto nível – do seu corpo docente, e pela capacidade e prática ao nível da investigação;

6. As condições criadas para o reforço do papel destas instituições na investigação científica e na inovação, na prestação de serviços altamente especializados e na formação mais avançada;

7. Que o impedimento legal a que estas instituições outorguem o grau de doutor constitui-se como uma limitação ao serviço que têm capacidade de prestar ao País e às regiões em que se inserem, bem como para o seu próprio desenvolvimento institucional;

8. Que na realidade europeia, nos sistemas de ensino superior ditos binários, se verifica uma tendência para que as instituições politécnicas possam outorgar o grau de doutor, possibilidade essa naturalmente sujeita à existência de condições para o efeito;

9. Que a internacionalização é uma estratégia do ensino superior nacional, igualmente assumida por cada um dos Politécnicos;

10. Que a designação «instituto politécnico» tem criado dificuldades no reconhecimento da sua natureza enquanto instituição de ensino superior e, em consequência, condicionado fortemente a colaboração e as parcerias internacionais;

11. Que, a nível internacional, as instituições politécnicas se apresentam sob as designações usadas pela EURASHE, independentemente da designação nacional.

A posição dos presidentes dos Conselhos Gerais do Politécnicos será transmitida à tutela, à Assembleia da República, aos Grupos Parlamentares, e ao Presidente da República.

Leiria, 22 de outubro de 2016

Por exemplo, só a nível da REDESPP - Rede de Escolas com Formação em Desporto do Ensino Superior Politécnico Público, são 12 escolas, 12 cidades e 12 distritos; 9 TeSP - Cursos Técnicos Superiores Profissionais, 18 Licenciaturas e 14 Mestrados; cerca de 4 000 alunos; mais 1 000 vagas anuais; mais de 200 professores e 130 Doutorados; mais de 150 seminários e outras ações de curta duração. A tudo isto acresce a afiliação da Rede a 6 centros de investigação.

Por exemplo, só a nível da REDESPP – Rede de Escolas com Formação em Desporto do Ensino Superior Politécnico Público, são 12 escolas, 12 cidades e 12 distritos; 9 TeSP – Cursos Técnicos Superiores Profissionais, 18 Licenciaturas e 14 Mestrados; cerca de 4 000 alunos; mais 1 000 vagas anuais; mais de 200 professores e 130 Doutorados; mais de 150 seminários e outras ações de curta duração. A tudo isto acresce a afiliação da Rede a 6 centros de investigação.

Nota: as imagens utilizadas, aqui e na chamada no facebook são meramente ilustrativas e não se relacionam diretamente com a reunião a que alude o comunicado.

Categorias:Educação, Nacional Tags: , , , ,

Também pode ser do seu interesse:

Mosteiro de Alcobaça nas Jornadas Europeias do Património Mosteiro de Alcobaça nas Jornadas Europeias do Património
EXPO FUNERÁRIA na Exposalão, na Batalha EXPO FUNERÁRIA na Exposalão, na Batalha
As pessoas com demência beneficiam com terapias de grupo As pessoas com demência beneficiam com terapias de grupo
Centro de Dia de Alcobertas, à espera do PORTUGAL 2020 Centro de Dia de Alcobertas, à espera do PORTUGAL 2020

Responder

Enviar Comentário


+ 5 = oito

© 2017 . Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por MDS Implement Ideas.